Ode a Razão

Eu sei. Sei que me perdi aquele dia naquelas ruas estreitas por sua causa. Eu te procurava enlouquecidamente. E ainda te procuro. Tanto, você nem sabe o quanto. Andava de salto alto entre os paralelepípedos cheios de neve. Parecia uma senhorinha que havia esquecido sua bengala em casa. Tudo porque sai desesperada atrás de você. E onde você estava? Onde você passou aquela noite? Onde?

Quando vi um relance teu, entrei naquele café para aquecer minhas mãos que já ganhavam uma cor próxima do roxo. É, eu também esqueci minhas luvas. Ou teria as perdido na noite anterior quando você não apareceu? Não sei, não lembro, não é importante.

Sei que é preciso que você fique comigo. Fique comigo. Repouse no meu colo. Finja que você não vai escapar pela primeira porta aberta que ver. Finja. Finja que você sabe fingir.

Dê a preferência...

Advertisements