Alguém mexeu no meu chocolate.

Eu já começo a pensar como eu vou comer sem pão. Ou como eu vou me acostumar a passar a geléia no pão sem antes mandar bala na manteiga. Pior. Como eu vou tomar café sem o creme no potinho?

Não sei, mas começa a me agradar muito a idéia de morar por aqui.

Subi no trem em Genebra e em 2h30 cheguei em Zurique. Passando por Lausenne e Bern e acompanhada de paisagens sensacionais. Ah, a Europa…

Viajar sozinho can be heaven or hell. Hoje, no entanto, eu fiquei no umbral, ou no purgatório, como quiserem. Pela manhã, tinha combinado com uma garota que conheci via CouchSurfing de fazer uma degustação de vinhos. Chovia e ela furou. Depois me deixou um recado pedindo mil desculpas e querendo tomar uma cerveja amanhã. Veremos…

Enfim, abri um super guia da cidade que encontrei aqui no hostel (ah, agora sou membro oficial do Hostelling International! Afinal, fico sempre em Paris e acho que vai valer a pena!) e fui parar em um café freqüentado por grandes nomes da arte e literatura no passado. Agora, é freqüentado pelos diversos engomadinhos que andam pela maior cidade da Suíça.

Ao sentar, meu desespero: cardápio em alemão. Deus meu, que impossível de adivinhar o alemão… próxima língua? (Sempre fico na dúvida entre o alemão e o italiano…). Pergunto ao garçon se tem o menu em inglês e ele, muito simpático, me responde que sim.

Depois de uns 15 minutos tentando decifrar o menu, que mesmo em inglês não era tão óbvio, consegui escolher um prato. Para escolher a bebida, pedi ajuda ao simpático ‘serveur’ que me sugeriu alguma coisa com ‘licor de maçã’. Ai, maldita hora em que eu fui confiar… O que chegou parecia um Grog e era super forte. Na mesa do lado, dois senhores se divertiam em ver minha confusão. Logo puxaram papo comigo, queriam saber tudo sobre a minha vida

Quando eu digo senhores, acredite, eram senhores. Com seus cabelinhos brancos e suas rugas que encaixavam-se perfeitamente nos sorrisos. Melhor assim. Quando for ‘uma senhora’, espero que minhas rugas também sejam o resultado de muitos sorrisos…

Enfim, eles me contaram sobre a exposição do Picasso na cidade e eu resolvi ir. Bacana. Andei 2 horas por cerca de 70 quadros do pintor. Worth it.

A chuva só deu trégua no sábado, dia em que eu resolvi por as barbas de molho até 2h da tarde. O sol – e só ele – me convenceu em sair do hostel. Lá fui eu andar entre os carros caríssimos e as pessoas mais que bem vestidas (tão supostamente bem vestidas que acabam mal vestidas… Vestido colado com estampa de onça, no Brasil, não é classe, vocês sabem…).

Acabei, depois que o sol foi se esconder, em um cinema já meio afastado do centro. Fui assistir Somewhere, da Sofia Coppola. Se alguém resolver assistir, adoraria saber qual foi o resultado em vossas mentes. Pra mim, se ela queria fazer um retrato do ‘vazio’ da vida em Los Angeles, ela conseguiu. Com um filme vazio. Haha…

Tá, depois eu me enfiei em um restaurante vegetariano com tudo o que precisava: uma taça de vinho tinto. Será que um pouco do meu DNA virou francês? Oh mince!

A glimpse sur Zurique

Zurique pode ser separada da seguinte forma: de um lado, estudantes e turistas. Vestidos com H&M, tênis ou botas normais, gorros e luvas, mochilas e fones de ouvido. Do outro lado, os ‘cidadãos’, paletós e sapatos bem lustrados, pastas, andar apressado e o fixo olhar para o nada.

Seja um, seja outro, uma cidade educada, limpa e cara. Se o alemão é a língua oficial, o inglês anda no bolso. Seja pela quantidade de turistas, seja pela quantidade de pessoas que, mesmo morando aqui, não sabem a língua de Goethe.

HÊ?

Por quê?

Acreditem: os orelhões têm trilha sonora e desfibrilador.

Ai. Um café no Starbucks custa – fácil – uns 15 reais.

Nesse mesmo Starbucks, com wifi de graça (Graças a Deus!), a maioria dos computadores é APPLE.

Olhe para baixo. Se achar alguma coisa no chão que não for inocentes bitucas de cigarro, te pago um Starbucks.

Pontualidade… SUÍÇA! Se a Suíça é o país dos relógios, logo você não precisa de um. Se os antigos se guiavam pela lua, é fácil se guiar pelos horários dos trams em Zurique. Pontuais e precisos. Ah, sim, se atrasam (meio minuto), uma voz em alemão (meio macabra) te avisa. E pede desculpas inconsoladamente.

Pergunta: Alguém mais aí acha que homem com cinto Channel é gay?

Advertisements