Se não tem Moet Chandon, cachaça vai apanhar

Uf…

Uma semana depois e eu ainda não consegui escrever por aqui. Sim! Estou na terra de Napoleão! Na terra do vinho e, melhor ainda, na região do Champagne!

E, que sorte a minha! Chego bem na semana da “Route Du Champagne”! O ‘truc’ é simples. Em algumas das cidades – as maiorzinhas – vendem o ‘passaport’ da alegria. Um caderninho com vários tickets, basta destacar o da adega onde você está e ça va! Uma taça de champagne na faixa!

Para acompanhar os champagnes, as adegas tem restaurantes que vendem queijos, lingüiças e outras especialidades. A maioria das cidades tem mais de uma adega, mas é impossível ficar em uma só. Embora a animação seja grande dentro das caves (adega em francês) – com música, gente bonita… – a última taça é servida às 19h e o evento tem só dois dias! Então, sebo nas canelas, ou melhor, no volante.

Plantações de girassol e de uva enfeitam as estradinhas, cheias de curvas – atenção dobrada aos bêbados e equilibristas! – que ligam uma cidade a outra.

Em breve, mais histórias! 🙂

Advertisements