Pegou a senha?

São Paulo me irrita. Muito.

A coisa funciona mais ou menos assim. Se você tem carro, fica parado no trânsito e demora muito mais pra chegar ao destino final. Se você não tem carro, vai de transporte público e demora, porque pega o ponto lotado, o ônibus lento, o metrô insuportávelmente lotado… Enfim.

Daí você chega onde deve. Se for jantar, tem fila de espera; se for ao cinema, tem fila na bilheteria; se for ao shopping, leva décadas pra conseguir uma vaga – além do preço ridículo dos estacionamentos de shopping; se for pra balada, fila pra entrar e uma ainda maior pra pagar e sair.

Ontem eu pensei e decidi que queria muito ir ao GP de carros históricos da F1. Entrei no site e PUMBA! Esgotados. Hunf. Aproveitando a deixa, fui no do GP do Brasil, bem na coragem de investir alguns vários reais pra assistir o deste ano, que até perigou em ser o último. Adivinha? NADA! Em seguida pensei em comprar um pacote pro Carnaval de Salvador. Nem entrei no site. Certeza que não tem mais abadá nem pro bloco mais off do mundo.

E aí, como vocês sabem, vem chegando um dos eventos mais lindos, na minha opinião, realizados no Brasil; a FLIP. É simplesmente bárbara a combinação da FLIP: literatura e Paraty. Eu tentei, há dois meses atrás, fazer reserva para alguns dias da Festa. A-han. Não tinha mais nem meio quarto. Acho que vou acampar no fim de semana. Só pra ver o Gay Talese. Só.

Tá chegando a hora do almoço. A fome tá até batendo. Mas e a preguiça de pegar fila também na hora do ranguinho? Ai caramba… cidade louca.

Espero que pelo menos me renda uma assunto pra um post mais legal.

Até breve.

Advertisements